"Sim, eu quero saber. Saber para melhor sentir; sentir para melhor saber. " - Cézanne

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Frases sobre a imprensa

Antônio Rodrigues de Lemos Augusto, jornalista e advogado – Cuiabá - MT

Há anos, tenho algumas dezenas de frases críticas sobre a imprensa ditas por personalidades diversas. Resolvi publicá-las no blog. Vez ou outra, acrescento alguma. Claro que muitas são exageradas, mas - de certa forma - despertam um sentimento de criticidade que é bom para a análise do jornalismo que se pratica:

“Primeiro apure os fatos. Depois, pode distorcê-los à vontade.” (Mark Twain– Escritor norte-americano, 1835-1910)

“O repórter deve possuir a fibra robusta dos carteiros, a face imperturbável dos caixeiros viajantes, a calma de um guarda civil em sentinela. Naturalmente, quando um homem consegue reunir tantas qualidades eminentes e tão raras, seria excessivo exigir dele que conheça ainda um pouco de sintaxe e de gramática.” - (Gangolin ‘Luigi Arnaldo Vassalo’, humorista italiano – 1852-1906)
“Às vezes, a única coisa verdadeira num jornal é a data.” (Luís Fernando Veríssimo – Humorista)

“As pessoas não param de confundir com notícias o que lêem nos jornais.” (J. Liebing, jornalista norte-americano – 1904-1963)

“O jornal exerce hoje todas as funções do defunto Satanás, de quem herdou a ambigüidade. E é não só o pai da mentira, mas o pai da discórdia.” - (Eça de Queiroz – Escritor português, 1845-1900)

“Um jornal é um instrumento incapaz de discernir entre uma queda de bicicleta e o colapso da civilização.” - (George Bernard Shaw – Teatrólogo irlândês – 1856/1950)

“Um editor de jornal é alguém que separa o joio do trigo – e imprime o joio.” (Adlai Stevenson, político norte-americano – 1900/1965)

“A mídia é safada.” (Antônio Carlos Magalhães, in “Folha de São Paulo”, 28/04/2001)

“O bem mais precioso na vida de um jornalista não é o seu emprego, mas a sua credibilidade.” (Eugênio Bucci, in “Sobre Ética e Imprensa”, Editora Cia das Letras)

“Sou a favor da imprensa livre. O que não suporto são os jornais.” (Tom Stopard, teatrólogo inglês, 1937)

“A leitura dos jornais, sempre penosa do ponto de ver estético, o é freqüente do moral, ainda para alguém que tenha poucas preocupações morais.” (Fernando Pessoa, poeta português - 1888/1935)

“Contra os burocratas de redação que passam a vida destroçando textos ou, simplesmente, jogando no lixo as notícias apuradas pelos repórteres.” (Jornalista Geneton Moraes Neto, in "Dossiê Brasil", 1997)

“Fico na frente da televisão para aumentar o meu ódio. Quando minha cólera está diminuindo e eu perco a vontade de cobrar o que me devem, eu sento na frente da televisão e, em pouco tempo, meu ódio volta.” (Escritor Rubem Fonseca, in "O Cobrador")

“Os jornais, que deveriam ser os educadores do público, são apenas seus cortesãos, quando não suas cortesãs.” - (Barbey D'Aurevilly, 1808 - 1889)

“O jornalismo consiste basicamente em dizer 'Lord Jones morreu' para pessoas que nunca souberam que Lord Jones estava vivo.” - (Gilbert Keith Chesterton, escritor inglês - 1874/1936)

“Os jornalistas são pessoas interessantes, às vezes inteligentes. Alguns órgãos de imprensa, infelizmente, vivem de verbas do governo. A imprensa deve ser livre. O jornalista, saber o seu papel. Cobrar, ir atrás, investigar.” (Pedro Taques, hoje senador, na época procurador da República, em bate-papo no site Quebra-Torto, em 19/06/01)

“Quando você chega em um país e toda a imprensa, unanimemente, comemora o Dia da Liberdade, trata-se de uma ditadura. Se, porém, a imprensa diz que o clima de restrições à liberdade é insuportável, você está numa democracia.” (Millôr Fernandes, humorista brasileiro - 1924)

“A imprensa escreve para vender, não para informar.” (Frase do filme "Conspiração", do diretor George P. Cosmatos, 1997)

“Se a imprensa não existisse, seria preciso não inventá-la.” (Escritor Honoré de Balzac, 1799-1850)

“Quantas lindas árvores deram a vida para que o escândalo de hoje pudesse chegar sem atraso a 1 milhão de leitores.” (Escritor Edwin Teale, 1953)

“Como o mundo é legislado e como as guerras começam? Diplomatas dizem mentiras aos jornalistas e, depois, acreditam no que lêem.” (Karl Kraus, dramaturgo e poeta tcheco)

“A imprensa tem mais é que aproveitar a situação de eu ter falhado para descer o cacete. Afinal, é notícia ruim que vende jornal.” (Rogério Ceni, jogador de futebol, goleiro do São Paulo, em 21/12/2000)

“Quando terminamos de ler os jornais, parece-nos que as notícias melhores ficaram para o dia seguinte.”(Eno Teodoro Wanke - 1929)

“As redações são laboratórios assépticos para navegantes solitários, onde parece mais fácil comunicar-se com os fenômenos siderais do que com o coração dos leitores. A desumanização é galopante." (Escritor Gabriel García Márquez)

“A informação que temos não é a que desejamos. A informação que desejamos não é a que precisamos. A informação que precisamos não está disponível" (Escritor John Peers)

“Cada vez que vejo o telespectador sendo tratado como débil mental, e isso acontece cada vez mais, e quanto mais se trata o telespectador assim, mais ele acaba assumindo essa postura. Isso é extraordinariamente perigosíssimo" - (Jornalista Nelson Hoineff, criador do programa "Documento Especial." - TV Manchete, início dos anos 90 - em entrevista para jornal O Povo, CE)

“Só existe opção quando se tem informação... Ninguém pode dizer que é livre para tomar o sorvete que quiser se conhecer apenas o sabor limão." (Jornalista Gilberto Dimenstein)

“Ou o repórter sabe escrever corretamente, de acordo com as normas estabelecidas pela empresa na qual trabalha, ou deveria ser substituído por outro que preenchesse este requisito. Admitir a existência de repórteres que necessitem de um 'revisor de luxo' dos seus textos é absurdo." (Jornalista Clóvis Rossi, in "O que é jornalismo" - Coleção Primeiros Passos)

“Há uma padronização absolutamente inaceitável. Tudo é igual, as variações são mínimas. Falta personalidade. Cada matéria deve ter o seu espírito. (...) Acho que é preciso uma nova reforma. A que fiz transformou-se em fórmula e automatizou-se." (Pompeu de Souza, jornalista, introdutor da técnica da pirâmide invertida no jornalismo brasileiro)

Liberdade de imprensa "é a possibilidade de o dono de uma determinada empresa editora publicar tudo aquilo que quiser." (Clóvis Rossi, jornalista, in "O que é jornalismo", Coleção Primeiros Passos)

"Algumas pessoas matam. As outras pessoas se satisfazem lendo a notícia dos assassinatos." (Millôr Fernandes, jornalista, em 1951, na revista O Cruzeiro)

"O jornalista é um homem que errou de profissão." (Otto Von Bismark, estadista alemão, 1815-1898)

"O máximo que uma faculdade de jornalismo pode conseguir - mesmo supondo que ela injete em seus alunos um civilizado código de ética - é gerar jovens repórteres que fugirão do jornalismo tapando o nariz, assim que se familiarizarem com o que se passa dentro de uma típica redação de jornal." (H. L. Mencken, escritor americano, 1880-1956)

"Talvez esteja na hora de o trabalho jornalístico começar a mostrar mais compaixão e menos cinismo." (H. Eugene Goodwin, jornalista norte-americano in "Procura-se ética no Jornalismo", 1993)

"A televisão sabe que está multiplicando uma geração de clones deformados pela imoralidade civil e religiosa." (Edvaldo Pereira de Moura, juiz de Direito no Piauí e professor de Direito Penal, in Revista Consulex, 31/10/2001)

"Será a imprensa realmente um representante do povo ou será um usurpador, um representante auto-nomeado que defende os seus próprios pontos de vista e não os de seus constituintes?" (Deni Elliot, jornalista norte-americano, autor do livro "Jornalismo versus Privacidade", editora Nórdica, 1986.)

"Adoro a TV. Antes dela, o cinema era a pior das artes. Agora, estamos em segundo lugar." (Billy Wilder, cineasta austro-americano)

"Mais vale que um jornalista não ganhe um lugar gratuito para assistir a uma peça de teatro da qual deve fazer a apreciação crítica. Mas seu jornal vai pagar-lhe a entrada?" (Claude-Jean Bertrand, autor do livro "A deontologia das mídias", editora Edusc)
"A televisão me deixou burro, muito burro demais." (Trecho de música do grupo de rock Titãs, lançada nos anos 80)

"O papel aceita qualquer coisa. O computador também. Temos que ser maduros na hora de escrever os relatos de todos os dias." (Jornalista Ricardo Noblat, in Dicas da Dad - português com humor, de Dad Squarisi)

"De fato, se a imprensa diária, tal como acontece com outros grupos profissionais, tivesse de pendurar um letreiro, seus dizeres seriam os seguintes: aqui homens são desmoralizados com a maior rapidez possível, na maior escala possível e ao preço mais baixo possível." (Sorel Kierkegaard, filósofo e teólogo dinamarquês, 1848)

"Na maioria dos casos, a denúncia fácil, irresponsável, não checada, não é conseqüência da ingenuidade do repórter inexperiente, de falha da redação ou qualquer outro tipo de problema técnico. É algo voluntário: a transformação da notícia em produto de vitrine para vender jornal, para promover jornalista ou mesmo fazer política." (Jornalista Francisco Leopoldo Carvalho de Mendonça Filho, in Assessoria de Imprensa, o papel do assessor - Fenaj, 1996)

"O dono da empresa e o jornalista têm um direito fundamental de exercer sua atividade, sua missão, mas especialmente têm um dever (...) de informar à coletividade (..) objetivamente sem alterar a verdade ou esvaziar o sentido original. (...) Os jornalistas e empresas jornalísticas reclamam mais seu direito do que cumprem seus deveres." (José Afonso da Silva, doutrinador em Direito Constitucional, in Curso de Direito Constitucional Positivo)

"A mídia falha em entender que sua liberdade de expressão é baseada na liberdade da sociedade onde ela está inserida. Quando a liberdade mais ampla é reduzida ou eliminada, a própria liberdade de imprensa desaparece juntamente." (Marcos Rosas Degaut Pontes, in “Terrorismo – Características, tipologia e presença nas relações internacionais”)

"Essas pessoas desagradabilíssimas que se auto-intitulam jornalistas." (Escritor Ivan Lessa, in Revista Veja, edição 1.469)

"Todo jornalista decente é um urubu na sorte dos outros mortais. Ficamos esperando que as pessoas escorreguem numa casca de banana e batam com a cara no chão. Se tudo corre muito bem, para nós é muito mal." (Jornalista Paulo Francis)

"O jornal americano médio, especialmente o chamado de primeira linha, tem a inteligência de um pastor batista, a coragem de um camundongo, a retidão de um papalvo, a informação de um porteiro de ginásio, o bom gosto de um criador de flores artificiais e a honra de um advogado de porta de cadeia" (Jornalista H. L. Mencken, um dos principais nomes da história da imprensa norte-americana)

"Bons tempos aqueles em que jogador de futebol era analfabeto e, jornalista, alfabetizado." (In Opasquim21, n°01)

"Todo jornalista, por mais que aparente ser extrovertido, é um grande fofoqueiro tímido." (Anônimo)

"Cuidado! Ler jornal na hora do almoço pode provocar complicações intestinais" (Anônimo – E se o Ministério da Saúde mandasse colocar o aviso nos jornais, tipo maço de cigarro?)

"Jornalista é muito desinformado mesmo" (Jornalista Pedro Bial, durante o programa Big Brother)
"Estão todos satisfeitos com o sucesso do desastre: vai passar na televisão" (Compositor Renato Russo, in Metrópole)

"Você mentiu da mesma forma que os jornais falam da realidade" (Compositores Humberto Effe e Pequinho, banda Picassos Falsos, anos 80)

"Jornalista é como cão, que morde os outros a qualquer mando e irracionalmente, mas nunca o dono, a quem sempre lambe a mão" (Anônimo)

"O mito de que a imprensa é o Quarto Poder só serve para os que pretendem dela fazer uso de forma aética. Antes de ser tratada como poder, deveria ser entendida como anti-poder" (Jornalista e pesquisador João Batista Lago, Rondônia)

"O volume de verba de zelo que o político destina ao veículo de comunicação é o termômetro para que seja lido nas páginas dos jornais como bom ou mau homem público" (Anônimo)

"Faria bem à credibilidade da imprensa se ela se recusasse a dar destaque a qualquer confissão obtida sem a presença do advogado das pessoas acusadas. Do contrário, a imagem de veículos de comunicação, que ao que se sabe não é das melhores, pode ser arrastada para a mesma situação de desprestígio e descrédito em que, salvo exceções, encontra-se o aparato policial do país" (Jornalista Mario Vitor Santos, in Folha de S. Paulo, 1992. Na época, Mario era o ombudsman da Folha)

"A mídia diz um monte de bobagem. Depois desmente tudo. Depois, mente de novo" (Rodolfo, cantor de rock em entrevista para a MTV);

"Os jornalistas, como o cachorro de Lázaro, ficam ali esperando uma migalha. Qualquer coisa que a autoridade diga, serve. Passa uma autoridade, eles saem correndo, uns derrubando os outros, derrubando tudo e o doutor diz: ‘Olha, eu não tenho nada para dizer’. É muito humilhante" (Depoimento do contínuo do Palácio do Planalto para a revista Isto É, 1990);

"A velocidade imposta à notícia provoca, por vezes, matérias errôneas, incompletas, que atingem valores materiais e morais alheios. O mesmo sucede quando a preocupação é apenas com o sensacionalismo, em busca dos melhores índices, relegando-se a plano secundário uma investigação idônea." (Desembargador do Tribunal de Justiça do Distrito Federal, Mário Machado, em artigo veiculado no dia 18 de maio pelo site Consultor Jurídico);

"A dor da gente não sai no jornal" (Compositor Haroldo Barbosa – Letra da música de Luiz Reis, Notícia de Jornal);

"A mídia brasileira ainda tem que descobrir como publicar acusações de corrupção sem assumir que todos os acusados são necessariamente culpados"  - (Financial Times);

"Ao não investigar apropriadamente as acusações, os repórteres acabam alimentando o desvario e simplesmente amplificando as alegações em vez de tentar examinar sua seriedade" – (Financial Times);

"A Constituição não manda que a imprensa seja boa. Manda que ela seja livre" (Jornalista Élio Gaspari);

"Jornalista típico: Aquele sujeito que acorda de manhã e pergunta pro espelho: qual é a lição de Física que darei hoje ao tal do Einstein?" (Jornalista Geneton Moraes Neto).

"Considero que uma entrevista tem valor incalculável, não para publicar, mas como material de base para a reportagem, que continuo achando o gênero maior do melhor ofício do mundo". (Escritor Gabriel García Marquez)

Sobre jornalistas - A vaidade dos desconhecidos da imprensa é imensa! Todos eles se julgam com funções excepcionais, proprietários da arte de escrever acima de todo o mundo. Não reconhecem que são como um empregado qualquer, funcionando automaticamente, burocraticamente, e que uma notícia é feita com chavões, chavões tão evidentes como os da redação oficial. (Escritor Lima Barreto, em Recordações do escrivão Isaías Caminha)
Sobre os jornais - Hoje é a mais tirânica expressão do capitalismo e a mais terrível também... É um poder vago, sutil, impessoal, que só poucas inteligências podem conter-lhe a força e a essencial ausência da mais elementar moralidade, dos mais rudimentares sentimentos de justiça e honestidade! São grandes empresas, propriedade de venturosos donos, destinadas a lhes dar o domínio sobre as massas, em cuja linguagem falam, e a cuja inferioridade mental vão ao encontro, conduzindo os governos, os caracteres para os seus desejos inferiores, para os seus atrozes lucros burgueses... Não é fácil a um indivíduo qualquer, pobre, cheio de ideias, fundar um que os combata... Há necessidade de dinheiro; são precisos, portanto, capitalistas que determinem e imponham o que se deve fazer num jornal. (Escritor Lima Barreto, em Recordações do escrivão Isaías Caminha)

Sobre os jornalistas - Nada há tão parecido quanto o pirata antigo e o jornalista moderno: a mesma fraqueza de meios, servida por uma coragem de salteador; conhecimentos elementares do instrumento de que lançam mão e um olhar seguro, uma adivinhação, um faro para achar a presa e uma insensibilidade, uma ausência de senso moral a toda prova... E assim dominam tudo, aterram, fazem que todas as manifestações de nossa vida coletiva dependam do assentimento e da sua aprovação... Todos nós temos que nos submeter a eles, adulá-los, chamá-los de gênios, embora intimamente os sintamos ignorantes, parvos, imorais e bestas... (Escritor Lima Barreto, em Recordações do escrivão Isaías Caminha)

Sobre os jornais - “Guiados pelas mesmas leis, obedecendo quase a um único critério, todos eles se parecem; e lido um, estão lidos todos.”(Escritor Lima Barreto, em Recordações do escrivão Isaías Caminha)
Sobre a imprensa - Naquela hora, presenciando tudo aquilo, eu senti que tinha travado conhecimento com um engenhoso aparelho de aparições e eclipses, espécie complicada de tablado de mágica e espelho de prestidigitador, provocando ilusões, fantasmagorias, ressurgimentos, glorificações e apoteoses, com pedacinhos de chumbo, uma máquina Marinoni e a estupidez das multidões. Era a imprensa, a Onipotente Imprensa, o quarto poder fora da Constituição. (Escritor Lima Barreto, em Recordações do escrivão Isaías Caminha)

Sobre jornalistas - Quase todos os repórteres e burocratas dos jornais desprezam a literatura e os literatos. Não os grandes nomes vitoriosos que eles veneram e cumulam de elogios; mas os pequenos, os que principiam. Estranha ignorância de quem, por intermédio dos artigos dos que sabem, copia os processos dos romancistas, as frases dos poetas e deturpa o conceito dos historiadores, imitando-lhes o estilo com uma habilidade simiesca. (Escritor Lima Barreto, em Recordações do escrivão Isaías Caminha)

Sobre os jornais - Nos jornais, os artigos impressionistas são sempre feitos antes das impressões. (Escritor Lima Barreto, em Recordações do escrivão Isaías Caminha)

“Eu era uma criaturinha feliz enquanto não sabia ler e, portanto, não lia os jornais. Depois que aprendi a ler e comecei a ler os jornais, comecei a ficar triste. Comecei a ver como é na realidade o mundo. Tanta guerra, tantos crimes, tantas perseguições, tantos desastres, tantas misérias, tanto sofrimento...” Monteiro Lobato, em Memórias da Emília – Frase da Emília